sexta-feira, 3 de junho de 2011

Deus tem O Plano de Salvação




O primeiro verso bíblico que fala de graça que é amor, diz:

No princípio, criou Deus os céus e a terra. (Gen. 1:1)

Deus não criou o mundo para Si, mas para Seus filhos, para a alegria e felicidade de Suas criaturas. Mesmo sabendo que eles poderiam rejeitar tudo.

Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia. Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército. (Gen. 1:31 e 2:1).

Diz o ditado “Quem casa quer casa”. Deus criou um mundo perfeito, belo, maravilhoso e deu de presente de casamento para seus filhos, Adão e Eva morarem com sua família. Isto é amor, isto é graça.

26  Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.
27  Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. (Gen. 1:26-27)

Pergunto: Qual foi a parte que Adão e Eva exerceram na criação do mundo? O que Adão e Eva fizeram para ajudar Deus na criação do mundo? O que realmente Adão e Eva deram para ajudar a Deus a criar o mundo, deu algum conselho, alguma opinião, alguma orientação quanto aos seus próprios gostos?

A resposta é: NÃO. Adão e Eva em NADA contribuíram para ajudar a Deus na criação do planeta Terra. Receberam tudo de GRAÇA. Foi um presente de AMOR de Deus ao primeiro casal e consequentemente a toda raça humana.

Deus, no entanto, pediu ao homem que tomasse uma única decisão, queria que o homem fizesse sua escolha, isto é, ser feliz para sempre com Deus, na terra recém-criada ou rejeitar tudo o que Deus lhe dera. Tudo o que Adão e Eva tinham a fazer era aceitar ou rejeitar o presente de Deus.

16 E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente,
17  mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás. (Gen. 2:16-17)

Pergunto então: Adão e Eva aceitaram ou rejeitaram o presente de amor de Deus?

Claro que eles rejeitaram: Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu. (Gen. 3: 6)

Nossos primeiros pais trocaram sua felicidade por NADA. Jogaram no lixo o melhor presente de suas vidas por NADA. De graça receberam e por NADA rejeitaram tudo o que Deus lhes dera.

Para nossa desgraça ainda hoje fazemos o mesmo. Nós, filhos de Adão e Eva, trocamos a salvação que Jesus nos dá graciosamente por NADA.

I- Conclusão da primeira parte:

Adão e Eva, mesmo recebendo tudo, nada fizeram para ajudar a Deus na criação do mundo. Ainda assim, rejeitaram o presente de Deus. Ficando sujeitos à sentença de seu ato de rebeldia, que é a morte:  no dia em que dela comeres, certamente morrerás. (Gen. 2:17). Sobre a cabeça de todo filho de Adão e Eva pesa a sentença de morte, morte eterna, eterna separação entre o Criador e Suas criaturas. O que podemos fazer hoje, como desde o tempo de nossos primeiros pais, para nos livrar desta sentença de morte?

A resposta veio do próprio Deus. Ele, em Sua GRAÇA maravilhosa, intervêm na desgraça humana e resolve dár-lhe uma segunda oportunidade.

Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. (Gen. 3: 15)

Esta é a primeira promessa bíblica de salvação que viria através de Jesus Cristo. Cristo é O descendente da mulher que esmagaria a cabeça da serpente (Satanás). Cristo se ofereceu para ser o nosso substituto, para sofrer a penalidade da lei que requeria a morte do pecador, contida em (Gen. 2:17) e que diz o seguinte: da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

O plano de salvação é explicado nos versos a seguir:

16 Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (Jô 3:16)

17  Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
18  Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. (Jô 3:17-18)

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; (Jô 1:12)

No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! (Jô 1:29)

12  .... porque o SENHOR irá adiante de vós, e o Deus de Israel será a vossa retaguarda.
13 Eis que o meu Servo procederá com prudência; será exaltado e elevado e será mui sublime.
14  Como pasmaram muitos à vista dele (pois o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua aparência, mais do que a dos outros filhos dos homens), (Isa 52:12-14)

1 Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do SENHOR?
2  Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse.
3  Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer; e, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso.
4 Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.
5  Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
6  Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.
7  Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca. (Isa 53:1-7).

Jesus tomou sobre Si a sentença de morte que pesa sobre a raça humana rebelde. Jesus é o nosso substituto na pena de morte. Jesus trilhou sozinho este caminho, todos o abandonaram, era Sua missão aqui na terra. Ele foi o servo sofredor, para que no Seu sofrimento, que cabia à raça humana, abrisse um caminho de salvação, de segunda oportunidade, à todos os filhos de Adão e Eva (Leiam Romanos 5)

10  Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida;
12  Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.
17  Se, pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo. (Romanos 5: 10, 12, 17)

Pergunto: Qual foi a parte que Adão e Eva, depois do pecado, exerceram no plano de salvação? O que Adão e Eva fizeram para ajudar Deus na execução do plano de salvação? O que realmente Adão e Eva contribuiram para ajudar a Deus a salvar o mundo, deu algum conselho, alguma opinião, alguma orientação, teve alguma participação?


A resposta é: NÃO. Adão e Eva em NADA contribuíram para ajudar a Deus no plano de salvação da raça humana. Novamente receberam tudo de GRAÇA. Novamente é um presente de AMOR de Deus ao primeiro casal e consequentemente a toda raça humana.

Deus, no entanto, quer que o homem faça sua própria escolha, isto é, ser feliz para sempre com Deus, na Nova Terra ou rejeitar tudo o que Deus está lhe proporcionando através de Jesus Cristo. Tudo o que Adão e Eva tinham a fazer era aceitar ou rejeitar o presente da salvação provido através de Jesus Cristo. (Ler de novo Jô 3:16 e 18). O plano de salvação instituído por Deus tem por objetivo restaurar no homem a perfeição dos nossos primeiro pais, antes do pecado e dá-lhe o que Adão e Eva rejeitaram, isto é, nova terra.

II- Conclusão da segunda parte:

Adão e Eva, mesmo recebendo tudo de graça, nada fizeram para ajudar a Jesus na execução do plano de salvação. Deus fez tudo sozinho. Jesus executou sozinho na cruz o plano para nossa salvação.

Deus em Sua GRAÇA maravilhosa intervêm na desgraça humana e resolve dár-nos uma segunda oportunidade, isto é, de voltarmos a viver numa Nova Terra renovada.

III- Conclusão

Jesus fez tudo por nós, tanto na criação do mundo como na nossa salvação. Deus não contou, nem conta com NADA de nossa parte. A salvação não é por mérito humano. O mérito é todo de Jesus. A salvação é um dom de Deus, isto é, a salvação é um presente de Deus e é de graça.

Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;
9  não de obras, para que ninguém se glorie. (Efe. 2:8-9)

sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois, por obras da lei, ninguém será justificado. (Gal 2:16)

Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna. Heb. 4:16

Por isso tenhamos confiança e cheguemos perto do trono divino, onde está a graça de Deus. Ali receberemos misericórdia e encontraremos graça sempre que precisarmos de ajuda. Heb. 4:16.

Jesus sofreu a pena de morte que cabia ao homem, para assegurar ao homem o direito da vida santa e perfeita que cabe à divindade. A proposta de Deus é de troca de estilo de vida, de caráter. O que pertence ao homem é a desgraça, isto é, a dor, a enfermidade, o sofrimento, que é a conseqüência do pecado. Jesus sofreu em nosso lugar, para que tivéssemos o direito de ter tudo o que é dEle, isto é, vida eterna, saúde, paz, alegria etc.

Para ter acesso ao presente da salvação, basta ao homem aceitar o sacrifício de Jesus na cruz do calvário em seu favor e viver a vida de amor e humildade que Ele demonstrou aqui na terra. É simples assim. Deus não exige de nós penitências, sacrifícios extremos e impossíveis de serem cumpridos. Apenas aceitá-Lo como meu substituto na pena de morte que cabe à minha pessoa, por ser um pecador. Nada mais.

Minha esposa estes dias fez a seguinte indagação: Eu entendo perfeitamente o plano de salvação, que é de graça, basta aceitar a Jesus como meu salvador e manter comunhão diária com Ele, procurando obedecer os bons princípios estampados na Lei dos Dez Mandamentos (Êxodo 20), mesmo sabendo que o que faço de bom não vai contar para minha salvação, pois eu já estou salva em Cristo, no momento que O aceito pela fé. Mas a minha preocupação é a seguinte: Porque é tão difícil acreditar nas promessas maravilhosas de Deus, como a de um novo lar, nova terra, sem doença, uma vida perfeita etc., etc.,?

Eu entendi muito o bem a preocupação de minha esposa, ela não estava negando ou sendo cética em relação à Deus ou ao Seu plano de salvação. Ela apenas manifestou um sentimento normal, puramente humano. Ninguém deve ser julgado por manifestar sua preocupação ou seus sentimentos íntimos, ela queria uma resposta racional para uma preocupação que a atormentava, então sorri e disse a ela: Você tem razão em possuir este sentimento em relação ao plano de salvação, justamente porque ele não é algo normal, comum ou corriqueiro em nossa atividade do dia-a-dia. Vejamos o seguinte: “Sabemos que cego desconfia de esmola grande”, então contei a ela o que li estes dias na internet:

Um homem leu na seção dos classificados de um grande jornal que um carro da marca Corolla, todo equipado, seminovo, estava sendo vendido por apenas um real. A princípio ele achou que era brincadeira do tipo “pegadinha”, mas por curiosidade resolveu ligar para a senhora que vendia o carro. Para surpresa do homem ela confirmou que estava vendendo realmente o carro por apenas um real, mas se ele quisesse o automóvel tinha que depositar o valor em uma conta judicial e depois pegar o carro com ela. Então ele perguntou: Por que a senhora o está vendendo por um valor tão baixo? Veio a explicação: Acontece, disse a mulher, que o meu marido morreu, fizemos o inventário dos bens, então surgiu a amante do meu marido, que eu não sabia lógico de sua existência, reivindicando o carro, o que no final do processo o juiz decretou que eu deveria vendê-lo e entregar o valor à amante do meu marido. Esta é a história e concluiu, faz quatro meses que anuncio este carro por este valor, mas somente o senhor me respondeu.

Contei esta história para minha mulher e acrescentei: Deus tem nos prometido muito mais. Tem nos prometido, que se aceitarmos Sua oferta de salvação, através de Jesus, teremos vida eterna, moraremos em um mundo sem as ruínas e desgraças provocadas pelo pecado e que todos conhecemos muito bem. E isto não é normal em nosso dia-a-dia. Estas promessas de Deus são totalmente fora dos padrões humanos. O que provoca esta certa desconfiança que você sente. Mas a Bíblia diz: “O justo viverá da fé (Hebreus 10:38), a salvação é um ato de fé. Precisa muito mais do que coragem humana para aceitar a proposta de Deus. Precisa ser revestido do poder divino para crer, aceitar e entregar-se a Ele completamente. O dom da salvação é completo. Quando nos submetemos à vontade divina, Ele nos capacita completamente para viver segundo a vontade de Deus. Como diz o apóstolo Paulo: devemos acreditar mesmo “contra toda a esperança (Romanos 4:18).




Nenhum comentário:

Postar um comentário