terça-feira, 5 de outubro de 2010

Partido da Sinceridade dos Políticos Tortos - PS do PT



                                             
Pertenço ao Partido da Sinceridade. Quero me eleger e conto com o seu voto. Estou aqui para pedir seu voto. Vote em mim, depois não se preocupe comigo, pois quero resolver meus problemas pessoais. Você que se dane. O povo que se dane. Eu, em primeiro lugar.

Seja omisso, fique em cima do muro. Não conheça minha vida, pra saber quem eu sou, o que eu quero, o que vou fazer quando estiver exercendo os poderes que você me der, através do seu voto. Quero apenas que você ria com minhas piadas, afinal você acha que a vida é “pão e circo!”

Venda seus olhos, não enxergue meus desmandos, não me cobre as promessas da campanha eleitoral, seja negligente e preguiçoso, acovarde-se diante dos meus atos de corrupção. Chame aos meus maus atos de “coisas de políticos” ou “eles são assim mesmos” ou “ninguém dá jeito” Acomode-se, não fique indignado!

Mas você já pensou que tudo que eu fizer de bom ou mau, você será o responsável? Você será meu parceiro nas minhas boas ações e nas minhas más ações você será meu cúmplice, pois eu sou seu representante na alegria e na desgraça. Você me colocou lá!

Quando eu votar projetos contra a moral, os bons costumes e princípios religiosos, você estará votando comigo. Quando eu votar leis que retirem ou diminuam direitos inalienáveis da sociedade, você estará votando comigo.

Quando eu roubar e faltar dinheiro para a saúde de sua família, você será meu cúmplice. Quando eu receber propina e faltar dinheiro para a educação de seus filhos, você será meu cúmplice. Quando eu super avaliar o serviço de uma obra e faltar dinheiro para o saneamento básico da cidade, você será meu cúmplice.

Quando eu receber a propina, “o jabá”, “o por fora”, “o agrado”, “a taxa de sucesso”, “o cala-boca”, “o cafezinho” e faltar dinheiro para os serviços necessários em seu bairro, você não receberá nada, ficará só com o prejuízo. Lembra que você só votou em mim porque também recebeu “um agradozinho?” Sua propina tem nomes vistosos, chamam de: “bolsa não sei de que...”, “favorzinho”, “abriu as portas pra mim”, “quebrou um galho”, “foi uma bênção pra minha família”, “prestou um grande favor ao meu time de coração” etc. Na realidade eu te comprei com meus “favorzinhos” Você se vendeu, se corrompeu, você é igual a mim. Portanto não me amole com suas falsas lições de moral. Finja que não sabe ou não está interessado em nada de política.  
Se eu for pego com a mão na botija do dinheiro corrupto e for preso, não se preocupe, continue deitado na complacência de sua vida egoísta, mas fique sabendo você também estará no banco dos réus comigo.

Se você tiver consciência do voto que me deu, eu serei seu pesadelo mais incômodo, eu o torturarei, lhe causarei insônia, noites maus dormidas, pois se eu roubei, você também é ladrão, se eu matei, você também é assassino, se eu menti, você também é mentiroso, se eu sou corrupto, você também é. 

Mas se você continuar esta pessoa omissa, covarde de sempre, também sua vida não será a maravilha que você espera. O dinheiro roubado, ou como nós políticos gostamos de dizer, a obra foi super avaliada, o dinheiro foi desviado, ele faltará para executar serviços públicos que venha trazer conforto para você e a coletividade. Os serviços públicos em geral serão uma miséria e você sofrerá junto com todos. Não sou culpado sozinho, você que me apoiou, pediu votos pra mim, votou em mim, também é o responsável pelo que eu fizer.

O resultado de tudo é, mesmo que seu voto em mim seja consciente ou omisso, seremos inseparáveis.

Pois no dia do juízo, nos encontraremos, no mesmo banco dos réus, diante de Deus, para receber a recompensa, pois a sentença já foi proferida, que é “foste infiel no pouco, afasta de Mim, para o fogo e ranger de dentes.”

Você ainda quer votar em mim, sem me conhecer, sem saber do meu passado, sem ver minhas propostas, sem ter noção das minhas crenças e princípios?

Que tipo de pessoa você é? Você é igual a mim ou você é melhor do que as mais profundas esperanças que seus pais depositaram em você! Você é um filho de Deus, ou pertence a quem?

Peça a Deus que ilumine você!

Não podemos trabalhar para agradar a homens [e mulheres] que irão empregar sua influência para reprimir a liberdade religiosa e pôr em execução medidas opressivas... O povo de Deus não deve votar para colocar tais homens [e mulheres] em cargos oficiais; pois, assim fazendo, são participantes [cúmplices] nos pecados que eles cometem enquanto investidos desses cargos” (E.G.W  -  Fundamentos da Educação Cristã, p. 475).




Nenhum comentário:

Postar um comentário