quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Semelhante a Jesus no caráter


Pois, se eu vier a gloriar-me, não serei néscio, porque direi a verdade; mas abstenho-me para que ninguém se preocupe comigo mais do que em mim vê ou de mim ouve. 2 Coríntios 12:6

Os seguidores de Cristo devem tornar-se semelhantes a Ele – pela graça de Deus devem formar caráter em harmonia com os princípios de Sua santa lei. Isto é santificação bíblica.

Essa obra unicamente pode ser efetuada pela fé em Cristo, pelo poder do Espírito de Deus habitando em nós. [...] O cristão sentirá as insinuações do pecado, mas sustentará luta constante contra ele. Aqui é que o auxílio de Cristo é necessário. A fraqueza humana se une à força divina, e a fé exclama: “Graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo” (1Co 15:57).

As Escrituras claramente revelam que a obra da santificação é progressiva. Quando na conversão o pecador acha paz com Deus mediante o sangue expiatório, apenas iniciou a vida cristã. [...]

Pedro nos apresenta os passos por que a santificação bíblica deve ser atingida: “Pondo nisto mesmo toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência, e à ciência temperança, e à temperança paciência, e à paciência piedade, e à piedade amor fraternal; e ao amor fraternal caridade [...] porque fazendo isto nunca jamais tropeçareis” (2Pe 1:5-10).

Os que experimentam a santificação bíblica manifestarão um espírito de humildade. Como Moisés, depois de contemplarem a augusta e majestosa santidade, vêem a sua própria indignidade contrastando com a pureza e excelsa perfeição do Ser infinito. O profeta Daniel é um exemplo da verdadeira santificação. Seus longos anos foram cheios de nobre serviço a seu Mestre. Foi um homem “mui desejado” do Céu (Dn 10:11). [...]

Não pode haver exaltação própria, jactanciosa pretensão à libertação do pecado, por parte dos que andam à sombra da cruz do Calvário. Sentem eles que foi seu pecado o causador da agonia que quebrantou o coração do Filho de Deus, e esse pensamento os levará à humilhação própria. Os que mais perto vivem de Jesus, mais claramente discernem a fragilidade e pecaminosidade do ser humano, e sua única esperança está nos méritos de um Salvador crucificado e ressurgido (GC, p. 469-472).

Autora: Ellen G. White


Extraído de: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2009/frmd2009.html

18/12


Um comentário:

  1. Graça e Paz!

    Tenho tentado acessar o seu site, mas ele é muito pesado para a minha conexão, devido aos vídeos.

    Mas hoje fui paciente, esperei um bom tempo para ler esse texto e deixar aqui um comentário.

    Agradeço por me colocar em contato com essa mensagem que veio em um bom momento. Tudo o que tenho pedido ao Senhor é humildade e sei que tenho que seguir o exemplo de cristo.

    Muitas vezes exaltamos o nosso feito e temos de lembrar que isso é do homem e não de Deus. Não podemos despertar nos outros sentimentos que trarão contendas, devido a competições que existem na nossa sociedade.

    Fique na paz,
    Chris Amag

    ResponderExcluir