terça-feira, 26 de janeiro de 2010

O plano de Deus é perfeito



Porque Eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do Senhor e pratiquem a justiça e o juízo; para que o Senhor faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito. Gênesis 18:19


O plano de Deus para a nossa salvação é perfeito em todo aspecto. Se cumprirmos fielmente a parte que nos corresponde, tudo irá bem conosco. É a nossa apostasia que causa discórdia e traz miséria e ruína. Deus nunca usa Seu poder para oprimir as criaturas de Suas mãos. Ele nunca requer mais do que podem desempenhar. Nunca pune Seus filhos desobedientes mais do que é necessário para levá-los ao arrependimento, ou para impedir que outros sigam seu exemplo. A rebelião contra Deus é indesculpável.

Os julgamentos de Deus prontamente após a transgressão, Seus conselhos e reprovações, as manifestações de Seu amor e misericórdia, e as exibições do Seu poder freqüentemente repetidas – todos são parte do plano de Deus para preservar Seu povo do pecado, para torná-lo puro e santo, para que Ele seja sua força e proteção e sua extraordinariamente grande recompensa. Mas as persistentes transgressões dos israelitas, sua prontidão em desviar-se de Deus e o esquecimento de Suas misericórdias, mostraram que muitos escolheram ser servos do pecado em vez de filhos do Altíssimo.

Deus os criara, Cristo os redimira. Da casa da escravidão seu clamor de angústia subiu ao trono de Deus, e Ele estendeu Seu braço para os resgatar, por amor a eles, trazendo desolação sobre toda a terra do Egito. Ele lhes concedeu grandes honras. Fez deles Seu povo peculiar, e derramou sobre eles incontáveis bênçãos. Se Lhe tivessem obedecido, Ele os teria tornado uma nação poderosa – um louvor e excelência em toda a Terra. Deus planejou exaltar Seu nome através do Seu povo escolhido, mostrando a grande diferença que existe entre o justo e o ímpio, os servos de Deus e os adoradores de ídolos. [...]

Se o favor de Deus valia alguma coisa, valia tudo. Assim Josué decidiu; e depois de pesar toda a questão, determinou servi-Lo com todo o propósito do coração. Mais que isso, se esforçaria por influenciar sua família a seguir o mesmo rumo (ST, 19/5/1881).


Autora: Ellen G. White


21/12

Nenhum comentário:

Postar um comentário