sábado, 31 de outubro de 2009

Obtendo desenvolvimento pessoal



Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por Minha causa, esse a salvará. Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou a causar dano a si mesmo? Lucas 9:24, 25


Apenas uma fração da vida nos é assegurada; e a pergunta que cada um deve fazer é: “Como posso empregar minhas energias de maneira que elas possam render o maior dividendo? Como posso fazer o máximo para a glória de Deus e em benefício dos meus semelhantes?” Pois a vida vale apenas quando é usada para a realização desses fins.


Nosso primeiro dever para com Deus e os nossos semelhantes é o do desenvolvimento próprio. Cada faculdade com a qual o Criador nos dotou deve ser cultivada no mais alto grau de perfeição, a fim de que sejamos capazes de realizar a maior soma de bem que nos seja possível. Por isso que o tempo gasto no estabelecimento e preservação da saúde física e mental é um tempo bem aproveitado. Não podemos permitir-nos diminuir ou invalidar qualquer função do corpo ou da mente. Tão certamente quanto fizermos isto, devemos sofrer as conseqüências.


Todo homem tem a oportunidade, até certo ponto, de tornar-se tudo quanto escolher ser. As bênçãos desta vida, bem como as do estado imortal, estão ao seu alcance. Pode edificar um caráter de valor duradouro, conseguindo nova energia a cada passo. Pode crescer diariamente em conhecimento e sabedoria, cônscio de novos prazeres enquanto progride, acrescentando virtude a virtude, graça a graça. [...] Sua inteligência, conhecimento e virtude se desenvolverão assim com maior vigor e mais perfeita simetria.


Por outro lado, pode ele permitir que suas faculdades se entorpeçam por falta de uso ou por serem pervertidas por meio de hábitos maus, falta de domínio próprio ou de vigor moral e religioso. Seu caminho então conduz para baixo; é ele desobediente à lei de Deus e às leis da saúde. O apetite o domina; arrasta-o para longe a inclinação. É-lhe mais fácil permitir que as forças do mal, que estão sempre ativas, o arrastem para trás, do que lutar contra elas e avançar. A dissipação, a doença e a morte se seguem. Esta é a história de muitas vidas que poderiam ter sido úteis à causa de Deus e à humanidade (CS, p. 107, 108).



Autora: Ellen G. White


12/10


sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Criando condições para uma boa saúde


Se ouvires atento a voz do Senhor, teu Deus, e fizeres o que é reto diante dos Seus olhos, e deres ouvido aos Seus mandamentos, e guardares todos os Seus estatutos, nenhuma enfermidade virá sobre ti, das que enviei sobre os egípcios; pois Eu sou o Senhor, que te sara. Êxodo 15:26


Cristo fora o guia e mestre do antigo Israel, e ensinara-lhe que a saúde é o prêmio da obediência às leis divinas. O grande Médico que curava os doentes da Palestina falara a Seu povo da coluna de nuvem, dizendo-lhe o que devia fazer, e o que Deus faria por ele. “Se ouvires atento a voz do Senhor teu Deus”, disse, “e fizeres o que é reto diante dos Seus olhos, e deres ouvido aos Seus mandamentos, e guardares todos os Seus estatutos, nenhuma enfermidade virá sobre ti, das que enviei sobre os egípcios; pois Eu sou o Senhor, que te sara” (Êx 15:26). Cristo deu a Israel definidas instruções acerca de seus hábitos de vida, e assegurou-lhe: “E o Senhor de ti desviará toda a enfermidade” (Dt 7:15). Quando cumpriam as condições, verificavam-se as promessas. “Entre as suas tribos não houve um só enfermo” (Sl 105:37). [...]

Essas lições são para nós. Há condições que devem ser observadas por todos os que queiram conservar a saúde. Cumpre aprenderem todos quais são essas condições. Deus não Se agrada da ignorância com respeito a Suas leis, sejam naturais, sejam espirituais. Devemos ser coobreiros Seus, para restauração da saúde do corpo bem como da mente.

E devemos ensinar os outros a conservar e a recuperar a saúde. Empregar para os doentes os remédios providos por Deus na natureza, bem como encaminhá-los Àquele que, unicamente, pode restaurar. É nossa obra apresentar os doentes e sofredores a Cristo, nos braços de nossa fé. Devemos ensinar-lhes a crer no grande Médico. Lançar mão de Sua promessa, e orar pela manifestação de Seu poder. A própria essência do evangelho é restauração, e o Salvador quer que induzamos os enfermos, os desamparados e os aflitos a se apoderarem de Sua força. [...]

Tomar o Seu jugo é uma das primeiras condições para receber-Lhe o poder. A própria vida da igreja depende de sua fidelidade em cumprir a comissão do Senhor. Negligenciar essa obra certamente é convidar a fraqueza e a decadência espirituais. Onde não há ativo trabalho em benefício de outros, o amor diminui e definha a fé (DTN, p. 824, 825).


Autora: Ellen G. White



11/10


quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Como santificar o corpo e a alma



Amado, acima de tudo, faço votos por tua prosperidade e saúde, assim como é próspera a tua alma. 3 João 2


O propósito de Deus em relação a Seus filhos é que cresçam até a estatura perfeita de homens e mulheres em Cristo Jesus. Para conseguir isso, cumpre que façam uso legítimo de toda faculdade do espírito, mente e corpo. [...]


A questão de como preservar a saúde é de primordial importância. Quando a estudamos no temor do Senhor, aprendemos que o melhor para nosso progresso, tanto físico como espiritual, é a observância de um regime alimentar simples. Estudemos com paciência esse assunto. Precisamos de conhecimento e bons critérios para progredir sabiamente nessa questão. Não se deve resistir, mas sim obedecer às leis da natureza.


Os que receberam instruções sobre os males causados por alimentos cárneos, chá, café e preparações alimentares ricas e não saudáveis, e que estão dispostos a fazer com Deus um concerto de sacrifício, deixarão de satisfazer seu apetite por alimentos que, sabem, não são sadios. Deus exige que o apetite seja purificado e que se pratique a renúncia quando se trata de coisas que não são boas. Essa obra tem de ser executada antes que Seu povo possa aparecer perfeito diante dEle.


O povo remanescente de Deus deve estar convertido. A apresentação desta mensagem tem como objetivo a conversão e santificação das pessoas. Devemos sentir neste movimento o poder do Espírito de Deus. É esta uma mensagem maravilhosa e definida; significa tudo para quem a recebe e deve ser proclamada em alta voz. [...]


Arcam com grande responsabilidade os que conhecem a verdade, para conseguir que todas as suas obras correspondam à sua fé, sua vida seja purificada e santificada, e eles preparados para a obra que tem de ser rapidamente feita nestes últimos dias. Não dispõem de tempo nem de forças para gastá-los com satisfazer o apetite. As seguintes palavras devem soar-nos aos ouvidos com impressiva gravidade: “Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor” (At 3:19) (T9, p. 153-155).



Autora: Ellen G. White



10/10


Hábitos saudáveis



E dá alimento a toda carne, porque a Sua misericórdia dura para sempre. Oh! Tributai louvores ao Deus dos Céus, porque a Sua misericórdia dura para sempre. Salmo 136:25, 26


O Senhor, em Sua providência, concedeu luz em relação ao estabelecimento de clínicas onde os doentes pudessem ser tratados conforme os princípios de higiene. O povo deve ser ensinado a depender dos remédios do Senhor: ar puro, água pura e alimentos simples e saudáveis.


Todo esforço feito em prol da saúde física e moral do povo deve se basear nos princípios morais. Os defensores de reforma que trabalham visando a glória de Deus fixarão seus pés firmemente sobre os princípios de higiene e adotarão uma prática correta. O povo precisa de conhecimento verdadeiro. Através de seus errôneos hábitos de vida, os homens e as mulheres desta geração estão trazendo sobre si mesmos incalculável sofrimento.


Os médicos têm um trabalho a fazer para efetuar essa reforma através da educação do povo, para que este possa compreender as leis que governam sua vida física. As pessoas devem saber como comer corretamente, trabalhar inteligentemente, vestir-se de modo saudável, e devem ser ensinadas a colocar todos os seus hábitos em harmonia com as leis da vida e da saúde, e a rejeitar as drogas. Há uma grande obra a ser feita. Se os princípios da reforma de saúde forem adotados, essa obra certamente estará intimamente associada à terceira mensagem angélica assim como a mão está ao corpo.


Por que existe tanta divergência? Por que tanta ação independente, tanta ambição egoísta neste grande campo missionário? Deus é desonrado. A ação deve ser concentrada, unida. Isto é tão necessário na obra médica como em qualquer outra área da obra de preparação para o grande dia de Deus. [...]


Ensine às pessoas como evitar doenças. Diga-lhes que deixem de se rebelar contra as leis da natureza e, removendo todo obstáculo, experimentem esforçar-se ao máximo para corrigir as coisas. A natureza deve ter uma oportunidade justa para aplicar seus agentes de cura. Devemos fazer intensos esforços para alcançar um padrão mais elevado quanto aos métodos de tratamento de doentes. Se a luz que Deus deu prevalecer, se a verdade vencer o erro, grandes passos serão dados na reforma da saúde. Assim deve ser (MR13, p. 177, 178).



Autora: Ellen G. White



09/10


quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Santidade e saúde


Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. Romanos 12:1


Aqueles que estão ligados a esse grande empreendimento [o Instituto de Saúde em Battle Creek] não devem cessar de olhar seu trabalho a partir da elevada perspectiva religiosa e rebaixar os exaltados princípios da verdade presente para imitar em teoria e prática aquelas instituições onde os doentes são tratados apenas visando a recuperação da saúde. A especial bênção de Deus não será concedida à nossa instituição, mais do que o seria sobre aquelas em que corruptas teorias são ensinadas e praticadas.


Vi que uma grande e extensa obra não poderia ser realizada a curto prazo, como se fosse coisa fácil encontrar médicos a quem Deus possa aprovar, e que trabalhem harmoniosa, desinteressada e zelosamente em favor da humanidade sofredora. Deve sempre ser mantido em destaque que o grande objetivo a ser alcançado por esse meio não é apenas a saúde, mas perfeição e santidade, as quais não podem ser conseguidas com corpo e mente doentes. E essa meta não será atingida com base em uma filosofia mundana. [...]


A idéia de que aqueles que abusaram de suas forças físicas e mentais, ou que arruinaram mente e corpo, devem suspender todas as atividades para reaver a saúde, é um grande erro. Em muito poucos casos o repouso absoluto por um curto período pode ser necessário, mas eles são bem raros. Na maioria dos casos a mudança seria muito grande.


Aqueles que abalaram sua saúde por intenso trabalho mental, deveriam repousar a mente. Mas dizer-lhes que é errado e mesmo perigoso exercitar as faculdades mentais até certo grau, os levaria a considerar seu caso como pior do que é. [...]


Aqueles que se têm debilitado por esforço físico devem ter menos trabalho, e que esse seja leve e agradável. Privá-los, porém, de todo trabalho e exercício seria nocivo. [...] A inatividade é a maior maldição que lhes poderia sobrevir. Suas energias se tornam tão entorpecidas que lhes seria impossível resistir à doença e à debilidade e recobrar a saúde (T1, p. 554-556).


Autora: Ellen G. White




08/10


Sucesso com saúde



A perdida buscarei, a desgarrada tornarei a trazer, a quebrada ligarei e a enferma fortalecerei; mas a gorda e a forte destruirei; apascentá-las-ei com justiça. Ezequiel 34:16


Desde que o espírito e a alma encontram expressão mediante o corpo, tanto o vigor mental como o espiritual dependem em grande parte da força e atividade física. O que quer que promova a saúde física, promoverá o desenvolvimento de um espírito robusto e um caráter bem-equilibrado. Sem saúde ninguém pode compreender distintamente suas obrigações, ou completamente cumpri-las para consigo mesmo, seus semelhantes ou seu Criador. Portanto, a saúde deve ser tão fielmente conservada como o caráter. Um conhecimento de fisiologia e higiene deve ser a base de todo esforço educativo.


Apesar de serem hoje os fatos da fisiologia tão geralmente compreendidos, há uma indiferença alarmante em relação aos princípios da saúde. Mesmo dentre os que conhecem esses princípios, poucos há que os ponham em prática. Seguem a inclinação ou o impulso tão cegamente, como se a vida fosse dirigida por mero acaso em vez de o ser por leis definidas e invariáveis.


A juventude, no frescor e vigor da vida, pouco se compenetra do valor de sua abundante energia. Tesouro mais precioso do que o ouro, mais essencial para o progresso do que a erudição, posição social ou riquezas, em quão pouca conta é ela tida! Quão temerariamente é dissipada! Quantos homens, sacrificando a saúde na luta pelas riquezas ou poderio, têm quase atingido o objeto de seu desejo, apenas para cair inertes, enquanto outro, possuindo resistência física superior, se apodera da recompensa há tanto tempo almejada! Mediante condições doentias, resultantes da negligência das leis da saúde, quantos têm sido levados a práticas ruins com sacrifício de toda a esperança para este mundo e o próximo!


No estudo da fisiologia, os alunos devem ser levados a ver o valor da energia física, e como pode ela ser preservada e desenvolvida de modo a contribuir no mais alto ponto para o sucesso na grande luta da vida. [...]


Toda escola deve ministrar instrução tanto em fisiologia como em higiene, e tanto quanto possível ser provida de instalações para ilustrar a estrutura, o uso e cuidado do corpo (Ed, p. 195, 196).


Autora: Ellen G. White



07/10


terça-feira, 27 de outubro de 2009

O domínio sobre o corpo



Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível. Mas esmurro o meu corpo e o reduzo à escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser desqualificado. 1 Coríntios 9:25, 27


O progresso da reforma depende de um claro reconhecimento da verdade fundamental. Ao passo que, de um lado, espreita o perigo em uma estreita filosofia e numa rígida e fria ortodoxia, há, por outro lado, maior perigo num descuidado liberalismo. O fundamento de toda reforma estável é a Lei de Deus. Cumpre-nos apresentar em linhas distintas e claras a necessidade de obedecer a essa lei. Seus princípios devem ser mantidos perante o povo. Eles são tão eternos e inexoráveis como o próprio Deus.

Um dos mais deploráveis efeitos da apostasia original foi a perda do poder de domínio próprio por parte do homem. Unicamente à medida que esse poder é reconquistado pode haver real progresso.

O corpo é o único agente pelo qual a mente e a alma se desenvolvem para a edificação do caráter. Daí o adversário dirigir suas tentações para o enfraquecimento e degradação das faculdades físicas. Seu êxito nesse ponto importa na entrega de todo o corpo ao mal. As tendências de nossa natureza física, a menos que estejam sob o domínio de um poder mais alto, certamente produzirão ruína e morte.

O corpo tem de ser posto em sujeição. As mais elevadas faculdades do ser devem dominar. As paixões devem ser regidas pela vontade, e essa deve, por sua vez, achar-se sob a direção de Deus. A régia faculdade da razão, santificada pela graça divina, deve ter domínio em nossa vida.

As exigências de Deus devem impressionar a consciência. Homens e mulheres precisam ser despertados para o dever do império de si mesmos, para a necessidade da pureza, a liberdade de todo aviltante apetite e todo hábito contaminador. [...]

Naquele antigo ritual que era o evangelho em símbolo, nenhuma oferta defeituosa podia ser levada ao altar de Deus. O sacrifício que devia representar Cristo tinha de ser sem mancha. A Palavra de Deus refere-se a isso como uma ilustração do que devem ser Seus filhos – um “sacrifício vivo, santo” (Rm 12:1), “e sem defeito” (Ef 5:27) (CBV, p. 129, 130).


Autora: Ellen G. White



06/10


Como adquirir vigor intelectual



Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se. Daniel 1:8


O intelecto humano precisa expandir-se, e adquirir vigor, perspicácia e atividade. Deve-se obrigá-lo a fazer trabalho árduo, pois do contrário se tornará fraco e ineficiente. É necessário energia cerebral para pensar com mais afinco; deve-se exigir do cérebro o máximo a fim de resolver e dominar problemas difíceis, se não haverá um decréscimo de vigor mental e da capacidade de pensar. A mente deve criar, trabalhar e esforçar-se a fim de dar solidez e vigor ao intelecto; e se os órgãos físicos não são mantidos nas melhores condições por meio de alimentos substanciosos e nutritivos, o cérebro não recebe a nutrição que lhe corresponde para poder trabalhar. [...]


O intelecto deve manter-se desperto com trabalho novo, diligente e ardoroso. Como isso deve ser feito? O poder do Espírito Santo deve purificar os pensamentos e limpar a mente de sua contaminação moral. Os hábitos corruptores não só envilecem a mente, mas degradam o intelecto.


Quando os professores e os estudantes consagrarem a Deus alma, corpo e espírito e purificarem seus pensamentos pela obediência às leis de Deus, receberão continuamente nova dotação de força física e mental. Então haverá ardentes anelos de Deus e fervorosas orações para discernir com clareza. [...]


O estudo diligente é essencial, bem como o árduo trabalho diligente. [...] Um espírito bem-equilibrado não é obtido, em geral, pelo devotamento das faculdades físicas às diversões. O trabalho físico associado ao esforço mental com o fim de ser útil, é uma disciplina na vida prática, dulcificada continuamente pela lembrança de que está habilitando e educando a mente e o corpo para executar melhor a obra que é desígnio de Deus que os homens realizem em diversos setores. [...] A mente assim educada a desfrutar o esforço físico na vida prática se expande, e, mediante a cultura e o preparo, torna-se bem disciplinada e ricamente provida para prestar serviço, adquirindo além disso o conhecimento essencial para ser um auxílio e bênção aos próprios jovens e aos outros (FEC, p. 226-229).



Autora: Ellen G. White



05/10


segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Luz sobre o viver saudável



Então, romperá a tua luz como a alva, a tua cura brotará sem detença, a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda. Isaías 58:8


Nossos pastores se devem tornar entendidos quanto à reforma de saúde. Eles devem compreender as leis que regem a vida física, e sua ação sobre a saúde da mente e a espiritualidade.


Milhares e milhares pouco sabem quanto ao maravilhoso corpo que Deus lhes deu, ou do cuidado que ele deve receber; consideram de mais importância o estudar assuntos de muito menos conseqüência. Os pastores têm aí uma obra a fazer. Quando eles se colocarem na devida posição a esse respeito, muito será conseguido. Devem obedecer às leis da vida em sua maneira de viver e em sua casa, praticando os sãos princípios, e vivendo saudavelmente. Então estarão habilitados a falar acertadamente a esse respeito, levando o povo cada vez mais acima na obra da reforma. Vivendo eles próprios na luz, podem apresentar uma mensagem de grande valor aos que se acham em necessidade desses mesmos testemunhos.


Há preciosas bênçãos e ricas experiências a serem alcançadas se os pastores unirem a apresentação da questão da saúde com todos os seus trabalhos nas igrejas. O povo precisa receber a luz sobre a reforma de saúde. Essa obra tem sido negligenciada, e muitos estão quase a perecer, por necessitarem da luz que devem e precisam ter para que abandonem as condescendências egoístas.


Os presidentes de nossas associações devem compreender que é alto tempo de eles tomarem a devida posição neste assunto. Pastores e professores devem transmitir aos outros a luz que têm recebido. Sua obra é necessária em toda linha. Deus os ajudará; Ele fortalecerá Seus servos para que fiquem firmes, e não sejam abalados na verdade e justiça para se acomodar à satisfação egoísta.


A obra de educar nos ramos médico-missionários é um passo avançado de grande importância no despertar os homens quanto a suas responsabilidades morais. Se os pastores houvessem lançado mãos a essa obra em seus vários departamentos em harmonia com a luz comunicada por Deus, teria havido a mais decidida reforma no comer, beber e vestir. [...] Eles próprios e grande número de outros têm sofrido a ponto de morrer, mas nem todos aprenderam ainda a sabedoria (CRA, p. 452, 453).


Autora: Ellen G. White


Extraído de: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2009/frmd2009.html


04/10



domingo, 25 de outubro de 2009

Mudança de hábitos para ter saúde



Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-O em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas. Provérbios 3:5, 6


Há uma mensagem acerca da reforma de saúde, a qual deve ser apresentada em todas as igrejas. Há uma obra por fazer em cada escola. Nem a um diretor nem a professores a educação dos jovens deve ser confiada antes que possuam um conhecimento prático desse assunto. Alguns têm se sentido na liberdade de criticar e pôr em dúvida os princípios da reforma de saúde, achando defeitos neles, embora pouco conheçam por experiência. Devem colocar-se ombro a ombro, coração a coração, com os que trabalham no rumo certo.


O assunto da reforma de saúde tem sido apresentado nas igrejas; a luz, porém, não tem sido recebida de coração. As condescendências egoístas, destruidoras da saúde, de homens e mulheres, têm anulado a influência da mensagem que deve preparar um povo para o grande dia de Deus. Se as igrejas esperam ter poder, terão de pôr em prática a verdade que Deus lhes deu. Se os membros de nossas igrejas desprezam a luz sobre esse assunto, colherão os resultados, na forma de degeneração espiritual e física. E a influência desses membros da igreja mais idosos contagiará os novos na fé.


O Senhor não opera agora para trazer muitas pessoas para a verdade, por causa dos membros da igreja que nunca foram convertidos, e dos que, uma vez convertidos, voltaram atrás. Que influência teriam esses membros não consagrados sobre os novos conversos? [...]


Que todos examinem suas práticas pessoais a fim de descobrir se não estão sendo condescendentes com algo que lhes é definitivamente danoso. Que dispensem todo e qualquer prazer não saudável no tocante ao comer e beber. Alguns se dirigem a países distantes em busca de melhor clima. Porém, aonde quer que vão, o estômago lhes cria uma atmosfera maléfica. Acarretam sobre si mesmos sofrimentos que ninguém consegue aliviar. Que eles coloquem suas práticas diárias em harmonia com as leis da natureza; ao viverem do mesmo modo como crêem irão criar em torno de si uma atmosfera que será um cheiro de vida para a vida (T6, p. 370, 371).



Autora: Ellen G. White



03/10


sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Os líderes necessitam dá o exemplo na reforma da saúde



Vinde e vede as obras de Deus: tremendos feitos para com os filhos dos homens! Salmo 66:5


A igreja está fazendo história. Cada dia é uma batalha e uma marcha. Achamo-nos cercados de inimigos invisíveis por todos os lados; e, ou vencemos pela graça que nos é dada por Deus ou somos vencidos. Insisto em que os que estão tomando atitude neutra quanto à reforma de saúde se convertam. Esta luz é preciosa, e o Senhor dá-me a mensagem de instar para que todos os que têm responsabilidades em qualquer ramo da Sua obra cuidem para que ela tenha ascendência no coração e na vida. Unicamente assim alguém pode enfrentar as tentações que há no mundo.

Por que alguns de nossos irmãos pastores manifestam tão pouco interesse na reforma de saúde? É porque as instruções quanto à temperança em todas as coisas se acham em oposição a sua prática de condescendência consigo mesmos. Em alguns lugares, isso tem sido a grande pedra de tropeço que impede o povo de pesquisar, praticar e ensinar a reforma de saúde. Homem algum deve ser separado como mestre do povo enquanto seu ensino ou exemplo contradiz o testemunho que o Senhor deu a Seus servos para apresentar relativamente ao regime, pois isso trará confusão. Sua desconsideração pela reforma de saúde o desqualifica para levantar-se como mensageiro do Senhor.

A luz comunicada pelo Senhor sobre essa questão em Sua Palavra é clara, e os homens serão provados e experimentados de muitos modos, a ver se a atendem. Toda igreja, toda família, necessita ser instruída com referência à temperança cristã. Todos devem saber como comer e beber de maneira a conservar a saúde. [...]

O Senhor tem me revelado que muitos, muitos serão salvos de degenerescência física, mental e moral por meio da influência prática da reforma de saúde. Serão realizadas conferências e multiplicadas as publicações sobre a saúde. Seus princípios serão recebidos com agrado e muitos serão iluminados. As influências relacionadas com a reforma de saúde irão recomendá-la ao julgamento de todos os que desejam a luz, e esses avançarão passo a passo para receber as verdades especiais para este tempo. Assim a verdade e a justiça andarão juntas (T6, p. 377-379).


Autora: Ellen G. White


02/10


quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Filho meu, atenta para as minhas palavras e serás feliz



Filho meu, atenta para as Minhas palavras; aos Meus ensinamentos inclina os ouvidos. Não os deixes apartar-se dos teus olhos; guarda-os no mais íntimo do teu coração. Porque são vida para quem os acha e saúde, para o seu corpo. Provérbios 4:20-22


Ar puro, luz solar, abstinência, repouso, exercício, regime conveniente, uso de água e confiança no poder divino – eis os verdadeiros remédios. Toda pessoa deve possuir conhecimentos dos meios terapêuticos naturais, e da maneira de aplicá-los. É essencial tanto compreender os princípios envolvidos no tratamento do doente, como ter um preparo prático que habilite a empregar devidamente esse conhecimento.

O uso dos remédios naturais requer certo cuidado e esforço que muitos não estão dispostos a exercer. O processo da natureza para curar e construir é gradual, e isso parece vagaroso ao impaciente. Demanda sacrifício e abandono das nocivas condescendências. Mas no fim se verificará que a natureza, não sendo estorvada, faz seu trabalho sabiamente e bem. Aqueles que perseveram na obediência a suas leis ganharão em saúde de corpo e de alma.

Bem pouca é a atenção dada em geral à conservação da saúde. É incomparavelmente melhor evitar a doença do que saber tratá-la uma vez contraída. É o dever de toda pessoa, por amor de si mesma, e por amor da humanidade, instruir-se quanto às leis da vida, e a elas prestar conscienciosa obediência. [...]

Nunca será demais lembrar que a saúde não depende do acaso. É resultado da obediência da lei. Isso é reconhecido pelos competidores nos jogos atléticos e nas provas de resistência. Esses homens preparam-se da maneira mais cuidadosa. Submetem-se a um treino perfeito, e uma estrita disciplina. Todo hábito físico é cuidadosamente regulado. Sabem que a negligência, o excesso ou a indiferença, que enfraquecem ou prejudicam qualquer órgão ou função do corpo, resultariam na derrota certa. [...]

Mas, em vista das conseqüências em jogo, coisa alguma daquilo com que temos de tratar é insignificante. Toda ação lança seu peso na balança que determina a vitória ou a derrota da vida. O texto nos manda: “Correi de tal maneira que o alcanceis” (1Co 9:24) (CBV, p. 127-129).


Autora: Ellen G. White


01/10


quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Cada filho de Deus, um missionário



De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem Me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida. João 8:12


Os que seguem a Jesus são cooperadores de Deus. Não andarão em trevas, mas encontrarão o caminho verdadeiro, onde Jesus, a Luz do mundo, é o Guia; e ao dirigirem decididamente seus passos rumo de Sião, avançando com fé, alcançarão uma experiência excelente nas coisas de Deus. A missão de Cristo, compreendida tão vagamente, e tão debilmente assimilada, e que O chamou do trono de Deus para o mistério do altar da cruz do Calvário, se desdobrará mais e mais ao espírito, e se verá que no sacrifício de Cristo se encontra a fonte e princípio de todas as outras missões de amor. É o amor de Cristo que tem sido o incentivo de todo verdadeiro missionário nas cidades, vilas, rodovias e caminhos do mundo.

A igreja de Cristo foi organizada na Terra para propósitos missionários, e é de suma importância que cada membro da igreja seja um sincero obreiro juntamente com Deus, cheio do Espírito, tendo a mente de Cristo, perfeito em simpatia com Cristo, aplicando, portanto, toda energia de acordo com a habilidade que lhe foi confiada para a salvação de pessoas. Cristo requer que todo aquele que é chamado por Seu nome faça a Sua obra com a primeira e mais elevada consideração, e desinteressadamente coopere com os seres celestiais na salvação dos que estão a perecer, por quem Cristo morreu.

Desviar recursos, influência ou qualquer capital da mente ou do corpo que lhes foi confiado, é roubar a Deus e roubar o mundo; pois é desviar as energias para outro canal que não aquele para o qual Deus planejou que fossem usadas para a salvação do mundo. Quando Cristo esteve aqui na Terra, enviou Seus discípulos para proclamarem o reino de Deus por toda Judéia, e neste exemplo Ele revelou claramente que é dever de Seu povo, em todos os tempos, comunicar aos outros o conhecimento que possuem do caminho, da verdade e da vida. Em todos os Seus labores Jesus procurou treinar Sua igreja para a obra missionária, e à medida que seu número aumentasse, a missão se expandiria, até que eventualmente a mensagem do evangelho circundaria o mundo através do seu ministério (RH, 30/10/1894).


Autora: Ellen G. White


30/09

Semeando salvação



E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos. Gálatas 6:9


Nossa obra para Deus parece muitas vezes quase infrutífera nesta vida. Nossos esforços para fazer o bem talvez sejam diligentes e perseverantes, e todavia é possível que não consigamos ver os seus resultados. Talvez o esforço pareça para nós perdido. Mas o Salvador assegura-nos de que nossa obra se acha registrada no Céu, e que a recompensa não vai falhar. [...] E lemos nas palavras do salmista: “Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos” (Sl 126:6).


Conquanto a grande recompensa final seja dada na vinda de Cristo, o serviço feito de coração para Deus proporciona mesmo nesta vida uma recompensa. O obreiro tem de enfrentar obstáculos, oposição, desânimo amargo e desolador. Talvez ele não veja o fruto de seu trabalho. A despeito de tudo isso, porém, encontra em seu trabalho uma bendita recompensa.


Todos quantos se entregam a Deus num serviço desinteressado pela humanidade estão cooperando com o Senhor da glória. Esse pensamento adoça toda fadiga, retempera a vontade, revigora o espírito para qualquer coisa que possa sobrevir. Trabalhando com coração abnegado, enobrecidos por serem participantes dos sofrimentos de Cristo, partilhando de Sua compaixão, eles contribuem para avolumar a onda de Seu gozo, e trazem honra e louvor a Seu exaltado nome.


Na companhia de Deus, de Cristo e dos santos anjos, são envolvidos num ambiente celestial, ambiente que traz saúde ao corpo, vigor ao intelecto e alegria espiritual.


Todos quantos consagram corpo, mente e espírito ao serviço de Deus hão de receber continuamente uma nova provisão de energia física, mental e espiritual. Os inexauríveis abastecimentos celestiais se acham a sua disposição. Cristo lhes dá a proteção de Seu espírito, a vida de Sua vida. O Espírito Santo põe Suas mais elevadas energias a operar no coração e na mente (T6, p. 305, 306).


Autora: Ellen G. White




29/09


terça-feira, 20 de outubro de 2009

Faça sua luz brilhar



Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. Isaías 40:3


Você sente o poder santificador da sagrada verdade no coração, na vida e no caráter? Tem você a certeza de que Deus, por causa do Seu amado Filho, perdoou os seus pecados? Está você se esforçando para viver com a consciência livre de ofensas para com Deus e com a humanidade? Roga você freqüentemente a Deus em favor dos seus amigos e do seu próximo? Se você está em paz com Deus e colocou tudo sobre o altar, então pode se empenhar em benefício da obra de evangelizar pessoas.


Seguindo qualquer plano que se possa pôr em execução para levar aos outros o conhecimento da verdade presente e das maravilhosas providências ligadas à causa que avança, em primeiro lugar consagremo-nos completamente Àquele cujo nome desejamos exaltar. Oremos, também, fervorosamente em favor dos que esperamos visitar, levando-os, um a um, com fé viva, à presença de Deus.


O Senhor conhece os pensamentos e propósitos do homem, e com que facilidade nos pode enternecer! Como pode o seu Espírito, como um fogo, dominar o coração empedernido! Como pode Ele encher a alma de amor e ternura! [...]


Deveria se sentir em toda a igreja, hoje, o poder da graça vencedora, e ele pode ser sentido, se dermos ouvidos aos conselhos de Cristo aos Seus seguidores. Ao aprendermos a praticar a doutrina de Cristo, nosso Salvador, certamente veremos a salvação de Deus.


A todos os que estão prestes a empreender trabalho missionário especial [...] eu diria: Sejam diligentes em seus esforços; vivam sob a direção do Espírito Santo. Aumentem diariamente sua experiência cristã. Os que têm especial aptidão trabalhem pelos descrentes, e tanto nas camadas mais elevadas como nas mais humildes da sociedade. Busquem diligentemente as pessoas que perecem. [...]


Vigiem pelas pessoas como quem tem de dar contas. Em seu trabalho missionário na igreja e na vizinhança, façam sua luz brilhar com raios tão claros e constantes que nenhum homem se possa levantar no juízo e dizer: “Por que você não me falou dessa verdade? Por que não cuidou de minha alma?” (Church Officers’ Gazette, setembro de 1914).



Autor: Ellen G. White




28/09


segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Cortesia cristã para salvar



Vai alta a noite, e vem chegando o dia. Deixemos, pois, as obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz. Romanos 13:12


Depois dos mais diligentes esforços feitos para levar a verdade àqueles a quem Deus confiou grandes responsabilidades, não se desanimem se eles rejeitam a verdade. Fizeram o mesmo nos dias de Cristo. Certifiquem-se de manter alta a dignidade da obra através de bem organizados planos e piedosa conversação.


Não temam nunca elevar demasiado alto a norma. As famílias que se empenham na obra missionária devem aproximar-se bem dos corações. O espírito de Jesus deve penetrar o coração do obreiro; são as palavras agradáveis, de simpatia, a manifestação de desinteressado amor pela salvação deles, que derribam as barreiras do orgulho e do egoísmo [...]


Afastemos de nós toda vulgaridade, tudo quanto é rústico. Cultivemos a cortesia, o refinamento, a polidez cristã. Guardem-se de ser abruptos e grosseiros. Não considerem tais peculiaridades como virtudes; pois Deus não as olha como tais. Antes busquem em todas as coisas não ofender aqueles que não são da nossa fé. Jamais ressaltem com proeminência os aspectos mais censuráveis da nossa fé, quando não solicitados. Tal atitude é tão somente um prejuízo para a causa. [...]


Os que são enviados para trabalhar juntos devem colocar de lado suas opiniões e idéias particulares, e buscar trabalhar unidos, coração e alma, para executar a vontade de Deus. Eles devem planejar trabalhar em harmonia a fim de fazer a obra prosperar.


Desejamos mais, muito mais, do Espírito de Cristo, e menos, muito menos, do eu e das peculiaridades de caráter que levantam um muro para nos separar de nossos companheiros. Podemos fazer muito para derrubar essas barreiras ao revelar as graças de Cristo em nossa vida. Jesus tem confiado Seus bens à igreja, século após século. Geração após geração, século após século, o depósito herdado desses bens tem se acumulado, até que responsabilidades cada vez mais maiores alcançaram nosso tempo. [...] Desejamos estar vestidos, não com nossas próprias roupas, mas com a completa armadura da justiça de Cristo (Atlantic Canvasser, 18/12/1890).



Autora: Ellen G. White




27/09


Todo cristão é um missionário



Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum. Atos 4:32


O mundo carece de missionários, consagrados missionários no país natal, e não será nos livros do Céu registrado como cristão ninguém que não tenha espírito missionário. Nada, porém, faremos sem energia santificada. Tão logo o espírito missionário é perdido do coração, e o zelo pela causa de Deus começa a declinar, o peso dos nossos testemunhos e planos é um clamor à prudência e economia, e verdadeira apostasia começa na obra missionária.


Em vez de diminuir a obra, que os concílios sejam conduzidos de modo que crescentes propósitos sejam manifestos para levar adiante a grande obra de advertência ao mundo, mesmo que custe abnegação e sacrifício. Se cada membro da igreja estivesse constantemente impressionado com o pensamento: Não pertenço a mim mesmo, mas fui comprado por um preço, todos sentiriam que estão debaixo da mais sagrada obrigação de aperfeiçoar cada habilidade concedida por Deus, para duplicar sua utilidade ano após ano e não ter desculpas pela negligência espiritual. Então não haveria falta de simpatia com o Mestre na grande obra da salvação de pessoas.


Quem dentre nós, com percepção espiritual, pode discernir o agitado conflito que está ocorrendo no mundo entre as forças do bem e do mal? Você compreende a natureza da grande controvérsia entre Cristo, o Príncipe da vida, e Satanás, o príncipe das trevas? Será que para você o conflito parece ser o mesmo que é para os agentes celestiais?


Ah, se todos que professam ser seguidores de Cristo estivessem realmente vivendo como condutos de luz para o mundo, imbuídos pelo Espírito de Deus, com coração transbordante da mensagem do evangelho, com a própria face radiante de devoção a Deus e amor ao próximo, que tamanha obra poderia ser realizada em tão curto tempo! Os mensageiros da verdade não falariam com hesitação nem incerteza, mas com destemor e confiança. Suas palavras e o próprio tom de sua voz imprimiriam convicção ao coração dos ouvintes (RH, 23/8/1892).


Autora: Ellen G. White



26/09


domingo, 18 de outubro de 2009

A necessidade do Espírito Santo



Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti. Porque eis que as trevas cobrem a Terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti aparece resplendente o Senhor, e a Sua glória se vê sobre ti. Isaías 60:1, 2


Nosso Redentor passou noites inteiras em oração a Seu Pai; e o fundamento da igreja cristã e da atividade missionária é lançado no próprio elemento da oração. Os discípulos estavam de comum acordo em um mesmo lugar, clamando ao Senhor para que o derramamento do Seu Santo Espírito lhes sobreviesse.


Embora o Espírito Santo seja dado ricamente por vários meios, quanto mais o buscamos tanto mais amplo será o derramamento. Assim sendo, quando se está fazendo trabalho sincero pela salvação de pessoas, haverá constante necessidade de renovada busca na Fonte de todo poder; e assim será estabelecida uma comunicação habitual entre a pessoa e Deus. Pela fé se extrairá constantemente da fonte de água viva e ela jamais se esgotará.


O trabalho é progressivo: envolve ação e reação. Amor e dedicação a Deus ativarão a boa vontade e esta fará aumentar a fé e a espiritualidade. Oh, como precisamos da sabedoria celestial! Bem, não é ela prometida a nós? “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa.” [Tg 1:5] [...]


Devemos pessoalmente compreender a solene obrigação do cristão de colocar em atividade todos os recursos e habilidades que lhe foram divinamente confiadas para fazer a obra que o Senhor espera que faça, com o melhor que estiver em seu poder. [...]


Necessitamos de mais fé, capacidade mais santificada. Motivos elevados e enobrecedores estão diante de nós. Não temos tempo, nem palavras para gastar em controvérsia. [...] Há necessidade de energia santificada. Os exércitos do Céu estão em atividade, mas onde está o agente humano para cooperar com Deus? (TSA, p. 43, 44).


Autora: Ellen G. White



25/09


sábado, 17 de outubro de 2009

Andando com os anjos



O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará. 1 Coríntios 13:8


Deus espera serviço pessoal da parte de todo aquele a quem confiou o conhecimento da verdade para este tempo. Nem todos podem ir a terras missionárias estrangeiras, mas todos podem ser missionários entre os familiares e vizinhos. Há muitas maneiras pelas quais os membros da igreja podem dar a mensagem aos que estão ao seu redor. Uma das maneiras mais bem-sucedidas é o viver cristão prestativo, altruísta.


Os que estão travando a batalha da vida com grandes desvantagens podem ser refrigerados e fortalecidos por pequeninas atenções que nada custam. Palavras bondosas, proferidas com simplicidade, pequenas atenções dispensadas sem ostentação, hão de afugentar as nuvens da tentação e dúvida que se adensam por sobre a pessoa. A verdadeira e sincera expressão de simpatia cristã transmitida com simplicidade tem poder para abrir a porta de corações que necessitam do simples e delicado toque do Espírito de Cristo.


Cristo aceita – oh! com que prazer! – todo ser humano que a Ele se renda. Leva o humano em união com o divino, para que possa comunicar ao mundo os mistérios do amor encarnado. Fale sobre a mensagem de Sua verdade, ore por ela, cante-a, encha dela o mundo, e prossiga avançando para as regiões longínquas.


Seres celestiais desejam cooperar com os seres humanos para que revelem ao mundo no que as pessoas podem ser transformadas, e o que, por sua influência, realizarão para salvar os que estão prestes a perecer. Aquele que está convertido de fato estará tão cheio do amor de Deus que almejará comunicar a outros a alegria que ele próprio possui.


O Senhor deseja que Sua igreja revele ao mundo a beleza da santidade. Ela deve demonstrar o poder da religião cristã. [...]


Pelas boas-novas do evangelho, por suas promessas e certezas, devemos exprimir nossa gratidão, procurando fazer o bem aos outros. A realização dessa obra trará raios de celestial justiça aos cansados, perplexos e sofredores. É como uma fonte para o viajante cansado e sedento. A cada obra de misericórdia, em cada ato de amor, acham-se presentes anjos de Deus (T9, p. 30, 31).


Autora: Ellen G. White




24/09


sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Como realizar trabalho cristão nas grandes cidades



O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz. Isaías 9:2


Todo cristão deve ter espírito missionário. Produzir fruto é trabalhar como Cristo trabalhou, amando as pessoas como Ele nos amou. O primeiro impulso do coração renovado é levar outros ao Salvador também; e tão logo a pessoa se converta à verdade, sentirá um desejo sincero de que os que se encontram em trevas vejam a preciosa luz brilhando da Palavra de Deus. [...]


Missionários são necessários para propagar a luz da verdade em [...] grandes cidades, e os filhos de Deus – aqueles a quem Ele chama de luz do mundo – têm a obrigação de estar fazendo tudo o que for possível nesse sentido. Vocês enfrentarão desânimo; sofrerão oposição; o inimigo sussurrará: Que podem essas poucas e fracas pessoas fazer nesta grande cidade? Se andarem na luz, poderão ser luzes brilhando no mundo.


Não busquem realizar alguma grande obra e negligenciar as pequenas oportunidades à sua mão. Muito podemos fazer exemplificando a verdade em nossa vida diária. [...]


Os homens podem combater e desafiar sua lógica; podem resistir a seus apelos; mas uma vida de santo propósito, de desinteressado amor em seu favor, é um argumento a favor da verdade que não podem contradizer. Muitíssimo mais pode ser realizado por vidas simples, devotadas e virtuosas do que pela pregação quando um bom exemplo falha. Podem trabalhar para edificar a igreja, encorajar os irmãos, e realizar reuniões sociais interessantes; e podem elevar orações, como afiadas foices, com os obreiros para o campo da seara. Cada um deve ter um interesse pessoal, uma preocupação pelas pessoas, para vigiar e orar pelo sucesso da obra.


Podem também com amor apelar à atenção dos outros para as preciosas verdades da Palavra de Deus. Devem-se instruir rapazes a fim de trabalharem nessas cidades. Talvez eles nunca sejam aptos a apresentar a verdade do púlpito, mas podem ir de casa em casa, e encaminharem o povo para o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo. O pó e o lixo do erro têm enterrado as preciosas jóias da verdade; mas os obreiros do Senhor podem descobrir esses tesouros, de modo que muitos os contemplem com deleite e respeito (HS, p. 181, 182).


Autora: Ellen G. White


Extraído de: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2009/frmd2009.html


23/09



O objetivo sagrado da Escola Sabatina


A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. João 3:3


O professor da Escola Sabatina deve ser um obreiro juntamente com Deus, cooperando com Cristo. Não se contente com uma religião inerte e formal. O objetivo da Escola Sabatina deve ser a conquista de pessoas. A ordem do trabalho pode ser irrepreensível; as instalações, tudo quanto se possa desejar; mas se as crianças e jovens não forem levados a Cristo, a escola será um fracasso, pois, a menos que as pessoas sejam atraídas a Cristo, tornam-se mais e mais incapazes de serem influenciadas por uma religião formal.


O professor deve cooperar ao bater à porta do coração dos que necessitam de auxílio. Se os alunos atendem à influência do Espírito e abrem a porta do coração para que Jesus possa entrar, Ele lhes abrirá o entendimento para compreenderem as coisas de Deus. É simples o trabalho do professor, mas, se for feito no Espírito de Jesus, a operação do Espírito de Deus o tornará profundo e eficiente.


Deve-se fazer muito mais trabalho pessoal na Escola Sabatina. A necessidade dessa espécie de atividade não é reconhecida e apreciada como deveria ser. Com o coração cheio de gratidão pelo amor de Deus, deve o professor trabalhar terna e fervorosamente pela conversão de seus alunos.


Que evidência podemos dar ao mundo de que o trabalho da Escola Sabatina não é mera pretensão? Será julgado pelos seus frutos. Será estimado pelo caráter e obra dos alunos. Em nossas Escolas Sabatinas devem-se confiar responsabilidades aos jovens, para que desenvolvam sua capacidade e obtenham poder espiritual.


Entreguem-se os jovens primeiramente a Deus e depois, já nos princípios de sua vida cristã, sejam ensinados a ajudar os outros. Esse trabalho lhes exercitará as faculdades, habilitando-os a aprender, a planejar e executar seus planos para o bem de seus companheiros. Procurem eles a companhia dos que necessitam de auxílio, não para se entregarem a fúteis conversações, mas para representarem o caráter cristão, para colaborarem com Deus, conquistando os que não se entregaram a Ele (CES, p. 61, 62).



Autora: Ellen G. White


22/09


Quero que os livre do mal...



Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz. 1 Pedro 2:9


Quando lemos a Palavra de Deus, quão claro está que Seu povo deve ser peculiar e distinto do mundo incrédulo que o cerca. Nossa posição é interessante e temível. Vivendo nos últimos dias, quão importante é que imitemos o exemplo de Cristo, e andemos como Ele andou. “Se alguém quer vir após Mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-Me” (Mt 16:24). As opiniões e sabedoria dos homens não nos devem guiar ou governar. Elas sempre nos afastam da cruz.


Os servos de Cristo não devem ter seu lar nem tesouros aqui. Que todos pudessem compreender que é apenas porque o Senhor reina que nos é permitido habitar em paz e segurança entre nossos inimigos. Não é privilégio nosso reivindicar favores especiais do mundo. Devemos consentir em sermos pobres e desprezados entre os homens, até que o conflito termine e obtenhamos a vitória. Os membros do corpo de Cristo são chamados para saírem, separarem-se das amizades e espírito do mundo; sua força e poder consistem em serem escolhidos e aceitos por Deus. [...]


O mundo está maduro para sua destruição. Deus não tolerará os pecadores por muito mais tempo. Eles devem beber até os resíduos da taça de Sua ira, não misturada com misericórdia. Os que haverão de ser “herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo” (Rm 8:17) na herança imortal, serão peculiares. Sim, tão peculiares que Deus porá uma marca sobre eles como Seus, totalmente Seus. Vocês pensam que Deus receberá, honrará e reconhecerá um povo tão misturado com o mundo que apenas difere dele no nome? Leia novamente Tito 2:13-15. Logo será conhecido quem está ao lado do Senhor e quem não se envergonhará de Jesus. Aqueles que não têm coragem moral para conscienciosamente assumir sua posição diante dos incrédulos, deixando as modas do mundo e imitando a abnegada vida de Cristo, envergonham-se dEle e não apreciam Seu exemplo (T1, p. 286, 287).



Autora: Ellen G. White




21/09


quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Lançai a Palavra... Ela não voltará vazia



E muito se maravilhavam da Sua doutrina, porque a Sua palavra era com autoridade. Lucas 4:32


Recebi instruções que, ao nos aproximarmos do fim, haverá grandes agrupamentos em nossas cidades, [...] e que devemos preparar-nos para apresentar a verdade nessas reuniões. Quando Cristo esteve na Terra, aproveitou tais oportunidades. Onde quer que houvesse grande ajuntamento de pessoas, com qualquer objetivo, Sua voz se fazia ouvir, clara e audível, proclamando Sua mensagem. E, em resultado disso, depois de Sua crucifixão e ascensão, milhares se converteram num dia. A semente semeada por Cristo calou fundo nos corações, germinou e, quando os discípulos receberam o dom do Espírito Santo, a colheita foi recolhida.


Os discípulos saíram e pregaram a palavra por todas as partes, com tamanho poder, que os oponentes ficaram apavorados e não ousaram fazer o que teriam feito, não fosse a positiva evidência de que Deus estava operando.


Em cada grande ajuntamento, alguns de nossos pastores devem estar presentes. Devem agir com sabedoria, a fim de obter ouvintes, de modo que possam apresentar a luz da verdade a tantos quantos possível. [...]


Em todos esses ajuntamentos devem estar presentes homens a quem Deus possa usar. Devem ser espalhados, como folhas do outono, entre o povo, folhetos que contenham a luz da presente verdade. Para muitos que assistem a essas reuniões, esses folhetos serão como as folhas da árvore da vida, que servem para cura das nações.


Eu lhes enviei esta, meus irmãos, para que a enviem a outros. Os que saem a proclamar a verdade serão abençoados por Aquele que lhes deu o encargo de pregarem esta verdade. [...]


Chegou o tempo em que, como nunca antes, os adventistas do sétimo dia se devem erguer e brilhar, porque sua luz tem vindo e a glória do Senhor brilhado sobre eles (Ev, p. 35, 36).


Autora: Ellen G. White


Extraído de: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2009/frmd2009.html


20/09