sábado, 3 de outubro de 2009

É necessário crucificar o EU para ser salvo



Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João. Este veio como testemunha para que testificasse a respeito da Luz, a fim de todos virem a crer por intermédio dele. João 1:6, 7


A palavra de Deus para nós é: “Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mt 5:48). Ele roga que todos crucifiquem o eu. Os que lhe atendem ficam cada vez mais fortes nEle. Aprendem diariamente de Cristo e, quanto mais aprendem, maior é o seu desejo de edificar o reino de Deus ajudando seu próximo. Quanto mais luz recebem, maior é o desejo de iluminar aos outros. Quanto mais falam com Deus, menos vivem para si mesmos. Quanto maior seus privilégios, oportunidades e facilidades para a obra cristã, maior é a obrigação que sentem de trabalhar pelos outros.


A natureza humana está sempre lutando por se manifestar. A pessoa que é aperfeiçoada em Cristo deve primeiro ser esvaziada do orgulho e da auto-suficiência. Então haverá silêncio no coração e a voz de Deus pode ser ouvida. Assim o Espírito poderá encontrar livre acesso. Deixe Deus trabalhar em e através de você. Então você poderá dizer com Paulo: “Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (Gl 2:20). Mas até que o eu seja sacrificado no altar, até que deixemos o Espírito Santo nos moldar e nos formar à semelhança divina, não podemos alcançar o ideal de Deus para nós.


Cristo disse: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10:10). Esta é a vida que precisamos ter, e precisamos tê-la abundante. Deus insuflará esta vida em toda vida que morrer para o próprio eu e viver para Cristo. Requer-se, porém, inteira renúncia de si mesmo. A menos que isso aconteça, levamos conosco o mal que destrói nossa felicidade.


O Senhor necessita de homens e mulheres que levem com eles na vida diária a luz de um exemplo piedoso, homens e mulheres cujas palavras e ações mostrem que Cristo está habitando no coração, ensinando, conduzindo e guiando. Ele precisa de homens e mulheres de oração, que, ao lutarem junto com Deus, obtenham a vitória sobre o eu, e então saiam para comunicar aos outros o que eles receberam da Fonte de poder. (ST, 9/4/1902).



Autora: Ellen G. White




04/09


Nenhum comentário:

Postar um comentário