terça-feira, 11 de agosto de 2009

Sagrada responsabilidade dos pais



Retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor; não toqueis em coisas impuras; e Eu vos receberei, serei vosso Pai, e vós sereis para Mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso. 2 Coríntios 6:17, 18


Qual não será a cena quando pais e filhos se encontrarem no final ajuste de contas! Milhares de filhos, que têm sido escravos do apetite e de vícios aviltantes e cuja vida é uma ruína moral, ficarão face a face com os pais que fizeram deles o que são. Quem, a não ser os pais, terá de arcar com essa terrível responsabilidade? Foi o Senhor que corrompeu esses jovens? Oh, não! Quem, então, realizou essa terrível obra? Os pecados dos pais não foram transmitidos aos filhos em apetites pervertidos e paixões? E não foi completada a obra pelos que negligenciaram educá-los segundo a norma dada por Deus? Tão certo como eles existem, todos esses pais serão examinados na presença de Deus.


Satanás está pronto para fazer a sua obra; ele não deixará de apresentar seduções a que os filhos não terão força de vontade ou poder moral para resistir. Vi que, por meio de suas tentações, ele está instituindo modas que se alteram sempre, bem como festas e diversões atraentes, a fim de que as mães sejam levadas a dedicar seu tempo a questões frívolas, e não para a educação e o preparo de seus filhos. Nossos jovens necessitam de mães que, desde o berço lhes ensinem a dominar a paixão, a negar o apetite e a vencer o egoísmo. Eles precisam de preceito sobre preceito, regra sobre regra, um pouco aqui, um pouco ali. [...]


A mulher deve ocupar a posição que Deus originariamente lhe designou, de igualdade com o marido. O mundo necessita de mães que o sejam não meramente no nome, mas em todo o sentido da palavra. Podemos dizer com segurança que os deveres que distinguem a mulher são mais sagrados, mais santos, que os do homem. Compreenda a mulher a santidade de sua obra e na força e temor de Deus assuma a missão de sua vida. Eduque seus filhos para serem úteis neste mundo e para o lar no mundo melhor. [...]


Aconselho as mães cristãs a compreenderem sua responsabilidade, e a viverem, não para agradar a si mesmas, mas para glorificar a Deus. Cristo não agradou a Si mesmo, mas assumiu a forma de servo. Ele deixou as cortes reais e revestiu Sua divindade com a humanidade, a fim de que por Seu exemplo pudesse ensinar-nos como podemos ser elevados à posição de filhos e filhas da família real, filhos do celeste Rei (FEC, p. 140-142).


Autora: Ellen G. White


Extraído de: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2009/frmd2009.html


09/07


Nenhum comentário:

Postar um comentário