sábado, 8 de agosto de 2009

Deus Aprecia a Ordem



Disse também o Senhor a Moisés: Vai ao povo e purifica-o hoje e amanhã. Lavem eles as suas vestes [...] E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus. Êxodo 19:10, 17


Alguns adquirem a idéia de que, para efetuar a separação do mundo que a Palavra de Deus requer, devem negligenciar o vestuário. Há uma classe de irmãs que pensa que estão pondo em prática o princípio da não-conformidade com o mundo, usando no sábado [...] a mesma roupa por elas usada através da semana, assim aparecendo na assembléia dos santos para entregar-se à adoração de Deus.


E alguns homens que professam ser cristãos olham à questão do vestuário sob o mesmo prisma. Reúnem-se com o povo de Deus no sábado, com a roupa empoeirada e encardida, e mesmo grandes rasgos, e posta sobre o corpo de maneira negligente.


Essas pessoas, se tivessem um compromisso de encontro com um amigo honrado pelo mundo, e desejassem ser especialmente favorecidas por ele, se esforçariam por aparecer [...] com a melhor roupa que pudessem obter; pois esse amigo se sentiria ofendido se comparecessem [...] com o cabelo despenteado e as vestes desasseadas e em desordem.


Entretanto, essas pessoas acham que não importa com que roupa apareçam, ou qual o aspecto de sua pessoa, quando se reúnem aos sábados para adorar o grande Deus. Reúnem-se em Sua casa, que é como a câmara de audiência do Altíssimo, onde anjos celestiais estão presentes, com pouco respeito ou reverência, como o indicam sua pessoa e seu vestuário. Todo o seu aspecto simboliza o caráter desses homens e mulheres.


O assunto favorito dessa classe de pessoas é o orgulho do vestuário. A decência, o bom gosto e a ordem são por eles considerados orgulho. E de conformidade com o vestuário dessas pessoas equivocadas são sua conversa, seus atos e seu trato. São descuidosos, e muitas vezes usam conversa vulgar, em seu lar, entre os irmãos e perante o mundo. O vestuário, e seu arranjo na pessoa, são geralmente considerados o índice do homem ou da mulher. Os que são descuidosos e desasseados no traje, raramente são elevados na conversação, e possuem sentimentos pouco delicados. Às vezes consideram humildade as extravagâncias e a grosseria. [...]


Nosso Deus é Deus de ordem, e de modo algum Se agrada com a desordem, com a imundícia ou com o pecado (ME2, p. 475, 476).


Autora: Ellen G. White


05/07


Nenhum comentário:

Postar um comentário