domingo, 16 de agosto de 2009

As dificuldades fortalecem o espírito e formam o caráter



Não retarda o Senhor a Sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, Ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. 2 Pedro 3:9


Em tempos de tentação, parece perdermos de vista o fato de que Deus nos prova, para que nossa fé seja firme, e achada em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo (1Pe 1:7). O Senhor nos coloca em situações diversas, para nos aperfeiçoar. Se temos defeitos de caráter dos quais não estamos apercebidos, dá-nos Ele disciplina que traga ao nosso conhecimento esses defeitos, a fim de que os possamos vencer.


É Sua providência que nos conduz a variadas circunstâncias. Em cada nova situação, defrontamos tentação de espécie diferente. Quantas vezes, quando somos postos em alguma situação difícil, pensamos: “Esse é um erro espantoso. Quanto desejo ter ficado onde estava antes!” Mas, por que é que não estão satisfeitos? – É porque suas circunstâncias serviram para trazer ao seu conhecimento novos defeitos de caráter; no entanto, só foi revelado aquilo que estava em vocês. Que devem fazer quando são provados pelas providências do Senhor? – Devem erguer-se à altura da emergência do caso, e vencer seus defeitos de caráter.


É o contato com as dificuldades que lhes dará músculos e nervos espirituais. Vocês se tornarão fortes em Cristo, se suportarem o processo de prova, vindo de Deus. Mas se vocês encontrar falhas em sua situação e em todos ao seu redor, apenas se enfraquecerão. Tenho visto pessoas que estavam sempre encontrando falhas em tudo e em todos ao seu redor, mas as falhas estavam em si mesmas. Precisavam cair sobre a Rocha e serem quebradas. Sentiam-se sãos em sua justiça-própria. As provações que nos sobrevêm servem para nos provar. [...]


Quando começamos a compreender que somos pecadores, e então caímos sobre a Rocha a fim de sermos despedaçados, os braços eternos nos enlaçam, e somos levados bem perto do coração de Jesus. Então, ficaremos encantados com Sua amabilidade e enojados de nossa justiça própria. Precisamos chegar-nos bem ao pé da cruz. Quanto mais ali nos humilharmos, tanto mais exaltado nos parecerá o amor de Deus (RH, 6/8/1889).



Autora: Ellen G. White


Nenhum comentário:

Postar um comentário