sábado, 25 de abril de 2009

A Iluminação do Espírito Santo



Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim. Atos 17:11


“Examinais as Escrituras”, declarou Cristo, “porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de Mim testificam” (Jo 5:39). Os que cavam abaixo da superfície descobrem às escondidas pedras preciosas da verdade. O Espírito Santo acha-Se presente com o sincero indagador. Sua iluminação resplandece sobre a Palavra, gravando a verdade na mente com nova importância. O pesquisador enche-se de um senso de paz e alegria nunca antes experimentadas. A preciosidade da verdade é compreendida como nunca antes. Uma nova luz celeste brilhe sobre a Palavra, iluminando-a como se cada letra se tingisse de ouro. O próprio Deus falou à mente e ao coração, tornando a Palavra espírito e vida.


Todo sincero pesquisador da Palavra ergue o coração a Deus, implorando o auxílio do Espírito. E descobre em breve aquilo que o leva acima de todas as fictícias declarações do pretenso mestre, cujas teorias fracas e vacilantes não são apoiadas pela Palavra do Deus vivo. Essas teorias foram inventadas por homens que não aprenderam a primeira grande lição de que o Espírito e a vida de Deus Se encontram em Sua Palavra. Caso houvessem recebido no coração o elemento eterno contido na Palavra de Deus, veriam quão débeis e inexpressivos são todos os esforços para arranjar algo novo que cause sensação. Eles necessitam aprender mesmo os elementares princípios da Palavra de Deus; teriam então a palavra de vida para o povo, que distinguirá em breve a palha do trigo, pois Jesus deixou Sua promessa com os discípulos. [...]


“Deixo-vos a paz, a Minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo” (Jo 14:27). Essas palavras não são inteiramente compreendidas por indivíduos, famílias, ou membros da igreja, para quem ou por quem, como Sua família, Deus representaria a verdade pura, não adulterada, que quando recebida e devidamente digerida, traz vida eterna (MR21, p. 131, 132).


Autora: Ellen G. White


Texto extraído de: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2009/frmd2009.html


22/04)


Nenhum comentário:

Postar um comentário