sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Obediência por Princípio



Por isso, irmãos, procurai, com diligência cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição; porquanto, procedendo assim, não tropeçareis em tempo algum. 2 Pedro 1:10

A vida eterna vale tudo o que somos e possuímos, e Jesus disse: “Qualquer de vós que não renunciar a tudo o que possui não pode ser Meu discípulo” (Lc 14:33, NVI). Aquele que nada faz, esperando ser coagido por algum poder sobrenatural, continuará esperando imerso em apatia e trevas. Deus deu Sua Palavra. Ele fala a nossa alma em linguagem inconfundível. Não basta a palavra de Sua boca para mostrar qual é o nosso dever e nos incentivar a cumpri-lo?

Os que examinam humilde e devotamente as Escrituras para conhecer e fazer a vontade de Deus, não ficarão em dúvidas quanto a suas obrigações para com Ele. Porque “se alguém quiser fazer a vontade dEle, pela mesma doutrina, conhecerá se ela é de Deus ou se eu falo de mim mesmo” (Jo 7:17). Se querem conhecer o mistério da piedade, vocês devem seguir a singela palavra da verdade, quer haja ou não sentimentos ou emoções. A obediência deve provir de um sentimento de princípios, e em todas as circunstâncias deve-se fazer o que é correto. Este é o caráter escolhido por Deus para salvação.

A prova da autenticidade do cristão é dada na Palavra de Deus. Disse Jesus: “Se Me amardes, guardareis os Meus mandamentos” (Jo 14:15). “Aquele que tem os Meus mandamentos e os guarda, este é o que Me ama; e aquele que Me ama será amado por Meu Pai, e Eu o amarei e Me manifestarei a ele. [...] Se alguém Me ama, guardará a Minha palavra, e Meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada. Quem não Me ama não guarda as Minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é Minha, mas do Pai que Me enviou” (Jo 14:21, 23, 24).

Eis aí as condições de acordo com as quais cada um será escolhido para a vida eterna. Nossa obediência aos mandamentos de Deus evidenciará nosso direito a uma herança com os santos na luz. Deus estabeleceu um padrão de caráter, e a todo aquele que, pela graça de Cristo, alcance a norma por Ele requerida, será amplamente suprida a entrada no reino de glória (FEC, p. 125, 126 por Ellen G. White). Extraído de: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2009/frmd2009.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário