quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

A Lei de Deus e a Felicidade



Porquanto o que fora impossível à lei, no que estava enferma pela carne, isso fez Deus enviando o Seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e, com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado. Romanos 8:3

A felicidade do homem precisa ser sempre salvaguardada pela lei de Deus. Somente na obediência podem eles achar a verdadeira felicidade. A lei é a cerca que Deus pôs em torno de Sua vinha. Os que lhe obedecem, são por ela protegidos do mal. Em transgressão, Adão se tornou uma lei para si mesmo. Pela desobediência trouxe sobre si a escravidão. Assim, um elemento discordante, nascido do egoísmo, atingiu os seres humanos. A vontade deles e a vontade de Deus já não mais se harmonizavam. Adão tinha se unido às forças desleais, e a vontade própria entrou em campo.

Através de Cristo o verdadeiro padrão é apresentado. Ele possibilitou que a humanidade pudesse mais uma vez se unir a Deus. Ele veio assumir a sentença de morte pelo transgressor. Nenhum preceito da lei podia ser alterado para receber o homem e a mulher em sua condição caída; por essa razão Cristo deu a Sua vida em favor deles, para sofrer em seu lugar a penalidade da desobediência. Essa foi à única maneira de salvar a humanidade, a única maneira pela qual poderia ser demonstrado que é possível guardar a lei. Cristo veio à Terra e se colocou na mesma posição em que Adão estava, vencendo onde Adão falhou. Ele se fez para nós sabedoria, justiça, santificação e redenção. [...]

Antes da fundação do mundo, Cristo prometeu que daria Sua vida como resgate se o homem e a mulher se desviassem de sua lealdade a Deus. Ele revelou Seu amor humilhando a Si mesmo, deixando o Céu para viver entre os seres humanos caídos, desordenados e sem lei. Por si mesmos não poderiam lutar contra o inimigo. Cristo oferece a Si mesmo, e a tudo o que tem – Sua glória, Seu caráter – para servir àqueles que retornam à lealdade e guardam a lei de Deus. Essa é a única esperança para eles. Cristo diz definitivamente: Eu não vim para destruir a lei. Ela é um transcrito do caráter de Deus. Eu vim para cumprir todas as suas especificações. Vim para vindicá-la ao viver a natureza humana, dando exemplo de perfeita obediência (ST, 13/6/1900 por Ellen G. White). Extraído de: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/medmat/2009/frmd2009.html



Nenhum comentário:

Postar um comentário